Como já destacado aqui, desde 2018 quando no primeiro mandato Gustavo buscava o financiamento de R$ 14,5 milhões, um grupo opositor naquela época restrito ao MBD, já chamava a atenção para a possibilidade de irregularidades no governo.

O que ganhou corpo com Operação Benedetta em maio de 2021, momento em que outros partidos, inclusive aliados até então, adotaram o mesmo discurso.

Foi quando o PP começou a acumular prejuízos políticos pela defesa que fazia, o que só se agravou com a demora do cobrado posicionamento, que veio agora em abril, com a expulsão.

Dessa forma nenhum projeto com o aval do investigado, era visto como exitoso na eleição que se aproxima, dificultado ainda mais com a natural barreira que surge na tentativa de três mandatos do mesmo grupo.

É importante lembrar que os números que levaram a reeleição nunca iludiram quem acompanha o ambiente, porque na verdade o MDB com as ex-vereadoras Stela e Vanir, venceu o PP na disputa em 2020, mesmo que com poucos votos, e a tão proferida diferença, não se daria sem as coligações com PSD e PDT.

Agora e no período efetivo de campanha, todos os que se tornaram opositores de Gustavo, cada a um a seu tempo, vai reiterar falas sobre suas posições e o tema honestidade que não será esvaziado.

No que se refere ao cenário, especialmente na eleição de prefeito, o PP e PSDB tendem a encontrar uma forma de irem juntos, porque na verdade sempre estiveram próximos, e sabem que em política só existe o caminho de seguir em frente.

O MDB, primeiro a apresentar um pré-candidato, sinaliza na direção do União Brasil, sigla que vê na sua primeira participação local, uma possível chegada ao Paço, unindo-se a uma candidatura até aqui, no mínimo bem encaminhada.

Convicto e confiante que volta para jogo em 2025, o PT segue seu voo solo.

Por fim, PSD e PL, que aparentemente já estiveram mais em sintonia, podem chegar a bom termo, sobre coligação e definição de quem é cabeça e vice, ou até tomarem decisões que surpreenderiam alguns, mas não todos.

Assim, a renúncia do único prefeito urussanguense a desistir do cargo após sua prisão, não vai mudar a maioria dos futuros discursos, e também não traz nenhuma novidade na disputa pela cadeira da qual ele também foi de forma inédita inicialmente foi afastado.