As cabeças pensantes da política local buscam identificar e entender as mudanças de comportamento do eleitor, como acontece em cada pleito, mas trabalham, como sempre fizeram, também com os patamares de Urussanga.

Ou seja, quantos votos cada partido costuma obter e a qual número se pode chegar com coligação de determinadas siglas.

É claro que se trata de um pleito que de deve trazer novidades em razão de como o cenário veio se constituindo pelo menos desde 2021.

O histórico opositor MDB e o beneficiado PSD, que inclusive comanda o Paço atualmente, devem crescer na disputa. Mas o PL que agrega bons estreantes e dissidentes experientes também pode aproveitar esse momento.

Ainda existe o PT que deve concentrar votos como apontam pesquisas, o PP, visivelmente impactado, mas que precisa encontrar uma forma de se reinventar, além do PSDB que parece ter adquirido gosto por levar sua própria chapa a diante, e o União Brasil, sobre o qual ainda se sabe pouco.

Assim, os até agora 17.444 votos dos aptos, estão sendo divididos nas projeções, que ainda parecem ser uma ferramenta importante dos estrategistas