Blog do Paulo Matias

Posts tagged financiamento

Cultura / Economia / Política / Turismo

Administração Municipal fará entrega de revista com ações realizadas e anuncio do cronograma futuro

Deve acontecer no final de março o evento em que o executivo apresentará uma revista elaborada para descrever as ações realizadas em Urussanga até agora.

No mesma oportunidade será apresentado o já solicitado na Câmara, cronograma de ações e obras, que utilizarão o montante do financiamento da modalidade Finisa, mais o superávit obtido em 2018 e o saldo de emendas parlamentares já creditadas, recursos que somados devem ultrapassar a casa do R$ 20 milhões.

Considerando hoje dois modelos que podem ser adotados para a condução das obras que serão elencadas, o prefeito Gustavo Cancellier, disse confiar na possibilidade de conclusão das mesmas até o final do mandato.

Economia / Política

Projetos da Área Industrial “Olympio De Villa” e de incentivos financeiros aos empresários, chegam à Câmara

O executivo municipal, segundo sua assessoria encaminhou nesta semana um “pacote” Projetos de Lei à Câmara de Urussanga. As propostas incluem projetos de algumas áreas, entre elas as estruturantes e no entendimento da administração, especialmente as voltados ao desenvolvimento econômico do município e à Área Industrial.

O Projeto de Lei Nº 05/2019 que cria o Distrito Industrial “Olympio De Villa”, localizado em faixa de terra situada ao longo da Rodovia SC 445, Genésio Mazon, denominada Área Industrial, e define os critérios para as concessões dos lotes e o Projeto de Lei PE Nº 06/2019, que institui o Programa de desenvolvimento econômico de Urussanga – PRODEUR, que teria o objetivo de apoiar através dos incentivos materiais e financeiros os projetos de empresas e pessoas físicas que tenham por objetivo o desenvolvimento econômico do município, mediante investimentos, dos quais resultem a implantação ou expansão de unidades industriais, comerciais, de prestação de serviços e atividades econômicas afins, estão entre os enviados ao legislativo.

Na ultima terça-feira, algumas vozes se levantaram na mesma Casa do Povo, para aonde conforme as informações se destinam agora os citados projetos, cobrando informações sobre a destinação dos valores oriundos do financiamento recentemente contraído pela atual gestão.

Economia / Política

“A cidade está suja, feia”, afirmou Deco

Na mesma noite em que a indicação de sua autoria solicitou que o executivo coloque em prática a Lei Municipal nº 2.583, que trata da limpeza e  roçadas de terrenos particulares no perímetro urbano, o vereador Vanderlei Marcirio “Deco”, ao usar a tribuna afirmou que “a cidade está suja, feia”, e que essa constatação certamente também e a primeira dos visitantes. Observando ainda que falta sinalização básica para o projeto turístico do município.

No decorrer de sua fala o vereador criticou o executivo por não convidar os vereadores para reuniões com moradores, principalmente nos bairros onde estão sendo investidos recursos conquistados pelos membros do legislativo, citando uma realizada pelo prefeito com moradores da Rua Orsi Silva no Bairro da Estação, para tratar da conclusão da pavimentação. Segundo Deco, nem mesmo o vereador Elson Roberto Ramos (MDB), responsável pela emenda parlamentar usada na obra, foi convidado.

Vanderlei Marcirio registrou também que o pacote de obras proposto pelo executivo com recursos do financiamento aprovado pelo legislativo está atrasado e sem cronograma definido, reiterando que espera do prefeito a definição das obras para que a sociedade e seus eleitores saibam onde os recursos serão investidos.

Foi com o voto do edil que o citado financiamento de R$ 14,5 milhões conseguiu aprovação na Câmara.

Economia / Política

Prefeitura de Urussanga assina contrato de R$ 14,5 milhões do Finisa

O prefeito Gustavo Cancellier, assinou na manhã desta sexta-feira (14), o contrato com a Caixa Econômica Federal no valor de R$ 14,5 milhões, por meio do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa). A no Salão de Atos do Paço Municipal Lydio de Brida.

“Este é um recurso que dará uma agilidade, dentro da capacidade que o município tem de licitar e fazer as obras, já que ele é um financiamento que prefeitura tenha uma autonomia para as obras, com a prestação correta das contas. Esse processo só foi possível graças a uma junção de esforços de todos”, ressalta o superintendente de Negócios da Caixa Econômica Federal, Ricardo Bier Troglio.

Para o prefeito Gustavo Cancellier, a assinatura do contrato representa um importante passo para o desenvolvimento econômico do município. “Este é um recurso que fará uma grande diferença para a nossa cidade, onde iremos investir em obras importantes para o nosso município que focarão especialmente na infraestrutura e no crescimento econômico do nosso município. Todo esse trabalho só foi possível graças ao empenho dos nossos vereadores da base e também ao vereador Vanderlei Marcirio que votou a favor do projeto na câmara. Graças ao trabalho brilhante feito pelos nossos servidores que encaminharam as documentações em tempo recorde e com grande eficiência. Graças também à Caixa Econômica Federal que não poupou esforços para dar agilidade a este processo e graças também à toda comunidade que apoiou a contratação do Finisa”, enaltece o gestor municipal.

Para a assinatura do contrato estiveram presentes os representantes do Legislativo Municipal, servidores, secretários e diretores da Administração Municipal, membros da Caixa Econômica Federal, imprensa e comunidade.

Economia / Política

Financiamento da prefeitura de Urussanga é aprovado

Circulou ontem a noite no “grupo” do primeiro e segundo escalão da administração municipal de Urussanga a informação de que o financiamento de R$ 14,5 milhões da modalidade Finisa junto à Caixa Econômica Federal, foi aprovado em todas as esferas, faltando agora apenas a assinatura do contrato.

A Câmara de Vereadores autorizou a contratação do mesmo no último dia 24 de outubro, quando o prefeito se comprometeu com o vereador de oposição que com o seu voto possibilitou a aprovação deste, em retirar do total pretendido apenas R$ 10 milhões.

Economia / Política

Câmara de Urussanga autoriza financiamento de R$ 14,5 milhões com o compromisso do executivo de devolver R$ 4,5 milhões

Na noite em que Casa Legislativa urussanguense recebeu talvez o maior número de munícipes que se tem registro, foram a plenário uma emenda que buscava a redução do financiamento para R$ 5 milhões, apresentada pela oposição, um parecer de inconstitucionalidade vindo da Comissão Constituição e Justiça (CCJ) e por último o projeto que poderia autorizar o executivo a contratar o financiamento da modalidade FINISA, junto a Caixa Econômica Federal, no valor de R$ 14, 5 milhões.

Desde o dia 02 do deste mês quando chegou à Câmara de Vereadores com pedido de tramitação em Regime de Urgência o qual já não foi aprovado, aconteceram na mesma casa uma reunião para explanação sobre a destinação dos valores e obras prioritárias promovida pelo executivo, e uma Sessão Extraordinária convocada pelo presidente da mesa, Odivaldo Bonetti, que não contou com quórum.

Ontem com o compromisso firmado entre o prefeito municipal Gustavo Cancellier e o vereador do MDB, Vanderlei Marcirio “Deco”, para a devolução de R$ 4,5 milhões, foi formada a maioria simples necessária para aprovação do referido projeto, o qual vai resultar então na entrada de R$ 10 milhões no caixa do município, frente ao montante concluído pelo Planejamento Estratégico de aproximadamente R$ 32 milhões, os quais seriam necessários para realização de todas as obras elencada no citado estudo.

Ao final da longa reunião onde alguns dos presentes, felizmente poucos, demonstraram não saber se comportar em um parlamento, dizendo-se mesmo assim satisfeito, o prefeito Gustavo ressaltou a presença da população e o papel dos vereadores, citando especialmente edil de oposição Vanderlei Marcirio, que com o seu voto permitiu a aprovação. “Antes do que nada vamos aprovar os R$ 10 milhões e vamos colocar essa cidade pra frente”, frisou o prefeito.

“Deco”, do MDB, que firmou o compromisso com prefeito da devolução dos R$ 4,5 milhões, para votar favorável ao projeto explicou sua posição afirmado que desde o início foi favorável por entender a importância e necessidade das obras apontadas. E ressaltou que uma vez que o prefeito concordou com a redução para R$ 10 milhões, valor que o edil entende não comprometer o erário do município. “Nosso comércio e a nossa indústria estão tão passando um momento terrível e quem sabe está aí a solução pra nós alavancar”, reiterou o vereador de oposição, que fez também questão de dizer que o prefeito assumiu esse compromisso com a população.

 Jair Nandi do PSD, que lançou o parecer da CCJ a qual preside de inconstitucionalidade, o qual foi derrubado em plenário, esclareceu que se pautou na própria Lei Orgânica concluindo que deveria tratar-se de Lei Complementar, mas como a Casa é soberana e entendeu de maneira diversa e o projeto seguiu para votação.

Na votação que definiu a aprovação do projeto de financiamento, a vereadora Vanir Mazzucco Cacciatori do MDB se absteve e os edis Jair Nandi do PSD e Elson Roberto Ramos, também do MDB e eleito pelo PT, Marcos Silveira, foram contrários e vencidos.

Economia / Política

R$ 9 milhões do financiamento destinados para o Anel Viário, ponto mais discutido do projeto que será aprovado hoje na Câmara

Diferentemente da Área Industrial tão citada ao longo dos últimos anos, o Anel Viário que a atual administração trouxe à tona neste momento, surpreendeu muitas pessoas ao ser apontado como umas das prioridades, principalmente por corresponder a aproximadamente 62% do valor total financiado de R$ 14.5 milhões.

Nos corredores do legislativo, entre as lideranças políticas, formadores de opinião e empresários locais, o entendimento é que esse pode ter sido o ponto que gerou o maior questionamento quanto ao valor do  pretendido pelo executivo.

Isso porque na opinião de alguns dos acima citados, vários fatores colocam a referida obra sob avaliação; como a que trecho de aproximadamente quatro quilômetros não leva até as áreas que poderiam ser atraentes; o fluxo hoje existente não justifica o investimento, o qual poderia ser substituído apenas por uma estrada inicialmente; o fato de que o próprio projeto é antigo e requer adequação; além de que a Área Industrial que também aparece na destinação de parte do financiamento fica exatamente na direção contrária.

No primeiro momento alguns dos edis reagiram com ralação ao valor total do compromisso que executivo quer contrair, no entanto, foi apresentado um conjunto de obras as quais foram elencadas pelo planejamento estratégico da administração que somam mais de R$ 30 milhões, o que depois apontou para a possibilidade do não direcionamento desse montante R$ 9 milhões para o Anel Viário, sendo cogitada uma nova relação de prioridades.

Foram lembrados neste momento até os problemas na condução de obras públicas, que são crônicos infelizmente em todo território nacional, e infelizmente em Urussanga não é diferente, inclusive na atual gestão. Prova disso é a revitalização da Praça Anita Garibaldi, onde a dificuldade com a fiscalização e conclusão se reflete.

O executivo foi convidado por este Blog a se pronunciar sobre os apontamentos até aqui descritos, mas não respondeu.

O que se sabe, é que o referido projeto será aprovado hoje, e o quinto voto necessário foi confirmado pelo vereador Vanderlei Marcirio (MDB). Segundo o mesmo, o presidente do seu partido sugeriu a concordância com R$ 7 milhões, mas o edil entendeu que R$ 10 milhões é um valor cabível, e vai solicitar que o gestor municipal, assine um documento se comprometendo em devolver a diferença.

A decisão de “Deco“, deve fazer com que outros votos sejam favoráveis, porque uma vez obtida a maioria necessária para aprovação, mesmo alguns dos contrários irão acompanhar a decisão para se livrar do ônus que imaginam adquirir junto aos eleitores, caso insistam nas suas posições.

Política

Porque vereadores faltaram à Sessão Extraordinária

Segundo a assessoria de comunicação da Câmara, a integrante da bancada do MDB, Vanir Zuleima Mazzucco Cacciatori, não participou por estar em viagem no Estado de Mato Grosso; Marcos Roberto Silveira eleito pelo PT, viajou no início da semana a São Paulo para tratar de assuntos particulares; Vanderlei Marcirio também do MDB, participou de compromissos parlamentares em Florianópolis na mesma data, e os vereadores Elson Roberto Ramos (MDB) e Jair Nandi (PSD), não participaram da Sessão por entenderem que a Reunião não tinha base regimental para acontecer, pois o Projeto PE 23/2018 ainda não foi liberado para votação pela CCJ, a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

Economia / Política

Por falta de quórum projeto do financiamento não é votado

A Sessão Extraordinária convocada pelo presidente da casa para está noite de quintafeira (18), depois da reunião realizada ontem no mesmo endereço, promovida pelo executivo para explanar sobre o financiamento e sua destinação, não resultou na votação do projeto autorizativo.

Para fazer a solicitação junto a Caixa Econômica Federal, o executivo precisa inevitavelmente da aprovação do referido projeto pela Câmara de Vereadores.

Desde de dois de outubro, quando o projeto chegou na Casa Povo, já com o pedido de tramitação em Regime de Urgência, o que não foi aprovado na oportunidade, alguns dos edis reagiram ao mesmo, e fizeram questionamentos.

Até hoje tarde quando aconteceram reuniões internas na Câmara além de conversas com vereadores que não estão na cidade, dois pontos se mostravam mais inflamados:

O valor do financiamento, R$ 14,5 milhões, e a destinação de R$ 9 milhões para a construção do ressuscitado Anel Viário, de pouco mais de quatro quilômetros.

Por falta de quórum, o projeto não foi a votação nesta noite, uma vez que compareceram somente os vereadores do PP, Odivaldo Bonetti, José Carlos José e Gilson Casagrande, além do suplente que ocupa da cadeira do PDT atualmente, Braz Ciseski.

A expectativa agora fica para a próxima terça-feira (23), na reunião ordinária.

Assista: https://www.facebook.com/blogdopaulomatias.com.br/videos/973971776120973/

Economia / Exclusivo / Política

Reuniões se sucedem na Câmara, antes da Sessão Extraordinária

Esta tarde de quinta-feira, está movimentada, especialmente no piso superior da Casa do Povo, a Câmara de Vereadores de Urussanga.

Isso porque acontece às 19h, uma Sessão Extraordinária convocada pelo presidente da mesa, com objetivo exclusivo de votar o Projeto que autoriza o executivo contratar o financiamento de R$ 14.5 milhões, através da Caixa Econômica Federal, na modalidade Finisa.

Na noite de ontem o executivo serviu-se das instalações do legislativo para explanar sobre o referido financiamento e detalhar a destinação dos valores.

Embora a maior parte dos presentes tenham manifestado apoio ao projeto, vereadores questionaram principalmente o valor pretendido e o investimento de R$ 9 milhões no Anel Viário.

Nas horas que antecedem a sessão, muitas discussões e estudos acontecem e o desfecho desta noite ainda imprevisível.