As explosivas declarações do senador e ex-líder do governo Delcídio do Amaral (afastado do PT-MS) tomou conta das discussões do plenário da Câmara dos Deputados nesta quinta-feira. Aos procuradores da Lava Jato, o petista, que até o ano passado era o porta-voz do Planalto no Senado, acusou a presidente Dilma Rousseff de entrar em campo para sabotar a Operação Lava Jato.

Delcídio afirmou ainda que ela tinha “pleno conhecimento” de todo o processo de aquisição da refinaria de Pasadena, no Texas, responsável por um prejuízo de 792 milhões de dólares aos cofres da Petrobras.

Com as revelações, parlamentares opositores reivindicam a imediata renúncia de Dilma da presidência da República.