O Conselho de Cultura do município já decidiu pela cobrança, mas ainda trabalha na definição do valor.

Prática habitual nas cidades que disponibilizam “equipamentos turísticos” aos seus visitantes, a taxa será cobrada dos que acessarem a gôndola Lucille.

O valor arrecadado irá subsidiar os necessários melhoramentos feitos na mesma rotineiramente.

Ainda em 2020, Nova Veneza pode inaugurar o canal de passeio com a gôndola. Desse o projeto já foi solicitado pelo prefeito Rogério Frigo, o qual terá início logo após a Rua Coberta e deve estender-se por aproximadamente 250 metros, com quatro de largura e um de profundidade.