Blog do Paulo Matias

Browsing Category Turismo

Cultura / Destaque / Economia / Política / Turismo

Nova Veneza realiza ato de consolidação e cooperação bilateral com Malo

Na manhã desta segunda-feira (19), foi realizado um ato de consolidação e cooperação bilateral entre Nova Veneza e Malo (Itália). O objetivo do encontro é fortalecer o Gemellaggio entre as duas cidades irmãs que irão assinar o acordo internacional acadêmico educacional.

O momento iniciou com os hasteamentos das bandeiras brasileira e italiana. Logo após o prefeito de Nova Veneza Rogério Frigo e a prefeito de Malo, Paola Lain descerram a placa do Gemellaggio no pórtico de entrada da cidade acompanhados do vice-prefeito Sérgio Alberto Spilere, do Conselheiro da Província de Vicenza, Roberto Sette e o vereador Maurizio Cogo. A comitiva também aproveitou para fazer o registro do carimbo em visita a gôndola.

De acordo com o vereador Aroldo Frigo Junior, Malo e Nova Veneza se assemelham em diversos aspectos. “Da gente, das famílias, dos hábitos passando pelo relevo e até mesmo na economia. Por isso são cidades irmãs”, ressalta.

“Nos sentimos muito bem acolhidos e emocionados por todos de Nova Veneza. E hoje à noite iremos entregar o documento de intenção de intercâmbio educacional e cultural”, ressalta a prefeita Paola Lain.

O prefeito Rogério Frigo afirma que a vinda da comitiva consolida ainda mais as características italianas da cidade de Nova Veneza fortalecendo o turismo no município. “São ações que vão garantir cada vez mais esse perfil de berço da cultura italiana e fomentando o nosso turismo”, explica o gestor.

Cultura / Turismo

Faixas elevadas não irão substituir semáforo

Na esquina da Barão do Rio Branco com a Presidente Vargas na área central de Urussanga onde foram instaladas as “faixas elevadas”, as quais visam principalmente atender a necessidade da acessibilidade, continuará funcionando o semáforo, só que não mais diante do Casarão dos Nichele.

Segundo a administração municipal, o referido semáforo e a câmara de segurança serão colocados de uma maneira diferenciada, na condição conhecida como “três braços”.

A providencia a fim de retirar a poluição visual existente diante do principal imóvel tombado da cidade, faz parte do projeto da revitalização praça. O qual imagina-se que esteja chegando ao seu final, depois de ter sido iniciado em 08 de julho de 2016, época que tinha previsão de entrega para março de 2017.

Cultura / Destaque / Economia / Turismo

Apresentação da Epagri de vinhos resistentes a doenças foi muito elogiada

Passada a correria das eleições, mas ainda tempo, é hora de destacarmos o importe evento realizado na última quinta-feira (25), quando a Epagri de Urussanga apresentou vinhos resistentes a doenças.

A demonstração técnica foi feita na Estação Experimental e conduzida pelos técnicos da Epagri de Videira.

Com a introdução de 11 variedades de uvas viníferas resistentes a doenças (PIWI), oriundas da Alemanha e Itália cultivadas em Santa Catarina o trabalho vem sendo desenvolvido desde 2015.

Os aspectos produtivos e enológicos foram expostos durante o encontro e de acordo com os técnicos, apesar do clima úmido e quente as variedades apresentaram alta produtividade e resistência, quando cultivadas com uma redução no uso agrotóxicos de até 80%.

As classificadas com bom potencial passaram pelo processo de vinificação na Estação Experimental de Videira. Sendo elas, as uvas brancas Calardis Blanc e Felicia e a tinta Regent, bem como a Aromera, similar a Moscato, se destacaram pela produtividade e potencialidade para vinhos.

“A Calardis Blanc e a Aromera provavelmente serão usadas para a produção de espumantes. Enquanto a Felicia produz um vinho tranquilo, sendo bem cultivada na Alemanha e Áustria, explicou o coordenador da pesquisa em Urussanga, engenheiro agrônomo, Emilio Della Bruna.

Após a explanação técnica, os vinhos elaborados foram servidos para a degustação dos presentes que avaliaram os mesmos.

A possibilidade de através desse trabalho em regiões como a de Urussanga produzirem uvas viníferas e por consequência vinhos no padrão mais consumido pelo mercado, ainda com o diferencial da utilização de bem menos agrotóxicos, abre um novo capitulo na história da “nobre bebida”, que tem hoje como seu carro chefe o Goethe, o qual inegavelmente deu impulso na atividade.

 

 

Cultura / Destaque / Turismo

Pórtico de Caravaggio será o mais novo cartão-postal de Nova Veneza

Nova Veneza ganha mais um cartão-postal, a obra do pórtico de entrada no Distrito de Caravaggio que está em fase de conclusão, faltando apenas a parte de ajardinamento. Em seu projeto estrutural, a edificação foi construída com um dos lados por um grande pilar em pedra basalto, simbolizando o “Morro da Miséria” e o solo pedregoso que aqui os imigrantes encontraram em 1891. Se ergue imponente com 9 metros de altura. O projeto arquitetônico é José Luiz Ronconi e Rita Ronconi.

De acordo com um dos arquitetos, José Luiz Ronconi no projeto a cavidade no centro deixa transpassar a luz, simbolizando que mesmo a pedra, tem alma e transparência e permite a intervenção humana.

“Na outra extremidade o elemento pedra, se transforma e se ergue como elemento aço, simbolizando a transformação por que passou Caravaggio ao longo da história. A guinada do distrito, para as várias indústrias, trazendo nova base de trabalho e desenvolvimento. Sobre o pilar em aço, o elemento horizontal que nasce da pedra e simboliza a união entre as pessoas, a harmonia da comunidade de Caravaggio nas suas conquistas. O elemento vertical une homem e Deus, a terra e o céu. Com o elemento horizontal forma a cruz. Ao contrário do vertical, o elemento horizontal é leve, transparente, vazado, permite o transpasse dos ventos dos novos tempos. Os vazados em forma de cruz, reproduzem a planta do Santuário de Caravaggio”.

O investimento na obra é de R$ 227.663.05 com recursos provenientes do Ministério do Turismo.

Da base do novo pilar nasce o arco em direção ao pilar em pedra simbolizando o retorno ao passado. O elo histórico. O trabalho e perseverança dos antepassados. O arco tem articulações que fazem com que esta união não seja rígida, mas que tenha adequação aos movimentos e mudanças. Um olhar no passado, sem perder uma leitura clara e lúcida do futuro. O arco é balaustrado simbolizando o trabalho do artesão; a arquitetura dos imigrantes; o domínio das técnicas construtivas. A arte, os valores, as heranças culturais. A pedra é o basalto, típica da região e das primeiras edificações. O aço é o Corten, um tipo de aço que exposto ao tempo, cria uma camada de ferrugem, que se tornar um protetivo natural e impede a continuidade da corrosão. Como as marcas que o tempo lhe imprimirá. Pintado em dourado, alia beleza a todo seu significado. Nas duas faces em aço está um texto escrito em dialeto besgamasco e português, homenageando todos os imigrantes italianos que fundaram o distrito e que trouxeram a devoção que dá nome a Caravaggio. O texto traduz um pouco da história e transformação da comunidade.

O pórtico de entrada não tem exclusivamente a função de promoção da cidade. Simboliza o acesso, demarca a entrada. Tem significância para as pessoas que nela moram e para quem a visita. É o orgulho de quem parte e de quem retorna para casa. Ao transpor este portal nos sentimos de volta ao lar.

 

Cultura / Política / Turismo

Projeto da praça do Distrito de São Bento Baixo é aprovado pela comunidade

O Governo de Nova Veneza promoveu, na última segunda, dia 1º de outubro, uma reunião para apresentar o projeto para a revitalização da praça aos moradores do São Bento Baixo, no Centro de Eventos São João Batista. Ainda no encontro, os gestores fizeram a entrega oficial entrega maquinário para Intendência Distrital. A arquiteta Ana Paula Ronchi fez uma explanação do projeto. “No projeto foi priorizado muito ao cidadão. Fizemos a entrada da praça com um pórtico e todos os elementos arquitetônicos foi usada a pedra ferro. As calçadas foram alargadas para ter maior acessibilidade e diminuímos os canteiros para criar mais espaço. Criamos um pergolado com mesas de descanso e mesas de jogos. Também melhoramos as escadas e uma rampa de acessibilidade ao Centro de Eventos. Trabalhamos uma integração entre a igreja e a praça. As luminárias nos rementem a Itália, além de luzes nos canteiros. No paisagismo usamos a flor símbolo, a alamanda. O piso será paver como na praça de Nova Veneza”, revelou Ana Paula.

Para o prefeito Rogério Frigo é mais um importante momento para a nossa gestão. “A Ana Paula Ronchi é uma apaixonada por Nova Veneza e desenvolveu um excelente projeto. A revitalização da praça era um compromisso assumido com a comunidade de São Bento Baixo, assim como as oito ruas que irão receber pavimentações. E as obras no Distrito não param por aqui. No Jardim Florença, a ponte pênsil metálica está em construção e mais cinco ruas serão pavimentadas. A Garuvinha também será contemplada com pavimentação. No Cedro Médio, mas três vias públicas. Assim como nas demais comunidades. Nova Veneza será um canteiro de obras. E vale ressaltar que equipar as intendências para melhorar os serviços prestados também foi um compromisso nosso. O nosso objetivo maior é cumprir com as promessas feitas para a população”.

 

Cultura / Destaque / Publicidade / Turismo / Vídeo

Piatto foi casa cheia com Stand Up e rodizio nesta quinta

O público constituído por urussanguenses e visitantes ignorou o fato de ser ainda uma quinta-feira e aderiu a iniciativa inovadora do Restaurante Piatto D’Oro, na noite de ontem.

Com a casa cheia o humorista ex-integrante do Pânico, Rogério Morgado, levou os presentes as gargalhadas com o seu Stand Up Universitário.

Enquanto acontecia o tradicional rodizio com as saborosas pizzas, uma das marcas fortes do estabelecimento.

Após evidenciarem o sucesso do primeiro evento, os proprietários, Charles e Max, já admitiam a possibilidades de outros em breve.

Cultura / Destaque / Publicidade / Turismo

Imperdível, nessa quinta, no Piatto!

Urussanga terá um evento inovador que trará a opção de laser e descontração acompanhada da melhor gastronomia no ambiente que é referência da cidade.

É a apresentação no modelo de maior evidencia hoje, quando se trata de humor que se popularizou como “Stand Up”.

O nosso restaurante Piatto D’Oro, traz nessa quinta-feira (27), às 20h, o premiado Rogerio Morgado, integrante do Pânico.

Venha dar boas risadas saindo da rotina enquanto saboreia as deliciosas pizzas do Piatto, sem precisar dirigir-se aos grandes centros onde habitualmente acontecem esses espetáculos.

Entre em contato pelo 3465-1703, por que restam os últimos lugares, nas opções de quatro, seis e dez, por mesa, com valor especial.

Cultura / Destaque / Economia / Turismo

Festival da Cerveja Artesanal encerra com recorde de público e de atrações

Recorde de público, atrações, cervejarias e tipos de Chopp. Assim pode ser definida a segunda edição do Festival da Cerveja Artesanal, que ocorreu nesse fim de semana, entre 14 e 16 de setembro, em Urussanga. Contando com atrações para a família, o evento atraiu visitantes do todo Sul catarinense, que mesmo com a chuva não se deixaram intimidar e aproveitaram tudo que era possível. O sucesso deste ano foi tão grande que a terceira edição já tem data marcada: ela deve ocorrer entre 13 e 15 de setembro de 2019, com ainda mais novidades.

De acordo com um dos organizadores, Rangel Quaglioto, o diferencial do Festival está na qualidade daquilo que é oferecido ao público. “Pensamos em cada atração musical com muito carinho, trouxemos as melhores cervejarias e a gastronomia estava bastante diversificada, harmonizando com as cervejas disponíveis. O evento vem tomando proporções significativas, e isso nos faz pensar em mais novidades ao público que confia no nosso trabalho e vem prestigiar”, aponta ele.

À disposição do público estiveram mais de 20 cervejarias, responsáveis por trazer aproximadamente 120 tipos de Chopp. Na Praça de Alimentação, sete restaurantes produziram de hambúrgueres a waffles, de petiscos a pizzas.

Bandas regionais e a nacional Acústicos & Valvulados garantiram aquele rock de qualidade. Para o sócio proprietário da cervejaria Birra Del Nonno, o resultado não poderia ter sido melhor. “Superou todas as nossas expectativas, com certeza!”. 

Cultura / Economia / Política / Turismo

Prefeitura intensifica investimento na cultura, em Orleans

A Administração Municipal entende que Orleans é a Capital da Cultura. Muito antes do incêndio no Museu Nacional do Rio de Janeiro (RJ), a preocupação com o patrimônio cultural da cidade já era evidente. No dia 05 de julho a prefeitura assinou convênio com a Fundação Educacional Barriga Verde (Febave),  para a reforma e manutenção do Museu ao Ar Livre Princesa Isabel, por meio de recursos provenientes da Prefeitura Municipal de Orleans.

Com o auxílio financeiro da prefeitura no valor de R$ 50 mil, a proposta é estabilizar a degradação que a unidade da Casa de Pedra está sofrendo. Segundo a diretora do museu, a museóloga Valdirene Dorigon, a medida contribui na melhoria da segurança do público no local, bem como do acervo histórico depositado na Casa de Pedra.

Para o prefeito Jorge Koch os investimentos em cultura e lazer, estão resgatando o desenvolvimento da identidade cultural de Orleans, e investir na cultura é investir nas pessoas: “nossa cidade é considerada a ‘Capital da Cultura’, as pessoas daqui são gostam de livros, arte, museus, poesia e museus, vamos viver bem esta terra”, relatou JK ao lado do vice-prefeito Mário Coan, que lembra que uma boa administração tem que estar atenta antes de acontecer tragédia: “muito antes do incêndio no Museu Nacional, a prefeitura já fazia a sua parte no cuidado com os nossos museus”, finalizou o vice-prefeito.

Casa de Pedra
A Casa de Pedra foi uma obra realizada pela Fundação Educacional Barriga Verde, com o apoio do Lions Clube, e participação do Governo Municipal e Governo Estadual, comunidade e empresários e simpatizantes dos projetos de preservação do patrimônio cultural de Orleans. Obra que foi iniciada por volta de 1986, sendo que a conclusão e a retomada da obra aconteceram em 2001, por iniciativa da Fundação Educacional Barriga Verde, da Plaszom – Indústria de Plásticos, e da Prefeitura Municipal de Orleans.
A partir deste momento, a Casa de Pedra passou a abrigar o Centro de Documentação Histórica Plínio Benício – CEDOHI, a reserva técnica, o acervo da unidade Museu da Imigração Conde D’Eu, a Biblioteca Histórica Etienne Stawiarski e o laboratório de conservação e restauração.

Unidade Museu da Imigração Conde D’ Eu
O Museu da Imigração Conde D’Eu foi inaugurado em 30 de agosto de 1970 nas dependências do Seminário São José  em Orleans. São muitas coleções que compõem o referido acervo: ferramentas de trabalho; utensílios domésticos; imagens e objetos sacros; objetos de adorno, de conforto e auxílio pessoal; mobília; objetos de adorno para interiores de residências; numismática; acervo arqueológico; indumentárias; uma coleção de minérios regionais; dentre outros.
Este acervo começou a ser formado em 1967, através de um trabalho realizado pelo Seminário São José e coordenado pelo Padre João Leonir Dall’Alba. No ano de 2002, o museu foi reaberto para visitação, já instalado na Casa de Pedra, no Museu ao Ar Livre Princesa Isabel.

Biblioteca Histórica Etienne Stawiarski
Neste local encontramos um acervo com obras raras nas mais variadas áreas do conhecimento: Biologia, Religião, Medicina, Matemática, Literatura, Português, Mecânica, Astrologia, Psicologia, Geometria, Eletricidade entre outros. Indicar as áreas de assunto abrangidas pelo acervo.
Ex.: História da arte, arqueologia, museologia, história regional.
Esta coleção pertenceu a um dos Superintendentes da Empresa de Terras de Colonização: Etienne Gaudenty Stawiarski. Em sua homenagem e como forma de agradecimento, a biblioteca foi intitulada de Biblioteca Histórica Etienne Stawiarski.

Centro de Documentação Histórica Plínio Benício
Este centro é dotado de documentos referentes à Empresa Colonizadora Grão Pará, que pertenceu ao Conde D’Eu e a Princesa Isabel, formada com o intuito de incentivar a imigração e de vender as terras, do dote de casamento da Princesa. Com a Proclamação da República a empresa deixou de pertencer ao casal Imperial e mudou o nome para Empresa Colonizadora do Brasil. A primeira sede da empresa foi provisória em de Braço do Norte, depois construíram uma nova sede em Grão Pará, mais tarde mudou-se pra a cidade de Orleans.