Blog do Paulo Matias

Navegando na categoria Política

Política

Eleições Municipais de 2020 devem ser marcadas pelo fortalecimento de siglas que representem a mudança

Tradicionalmente logo após a posse dos eleitos nos pleitos estaduais e presidenciais, iniciam-se as conversações sobre as eleições municipais, no entanto, neste momento inédito que vive o país, no qual pela primeira vez desde a abertura política a maioria dos eleitores estão focados na renovação, o tema local se antecipa nos bastidores porque segundo os que acompanham o cenário, o movimento da mudança vai chegar as prefeituras inevitavelmente.

Logo depois do primeiro turno das eleições com quais ainda estamos tratando, alguns novos líderes locais confidenciaram a este veículo e a outros, que já tratam com as siglas que não são as que predominaram nas últimas décadas sobre possíveis candidaturas, a escolha e identificação de nomes.

Assim, aquelas substituições nos Paços que pareciam distantes, e que até eram justificadas por uma questão cultural, parecem se desenhar já para 2020.

Em Urussanga, partidos como PSD, PDT, PSB, PSC e agora PSL, podem apresentar opções.

 

Política

47% dos eleitores não votariam em Haddad ‘de jeito nenhum’, diz Ibope

Segundo pesquisa Ibope/Estado/TV Globo divulgada nesta segunda-feira (15), 47% dos eleitores dizem que não votariam “de jeito nenhum” em Fernando Haddad (PT) no segundo turno da eleição presidencial.

Por outro lado, 35% do eleitorado afasta a possibilidade de votar em Jair Bolsonaro (PSL). Na pesquisa, Bolsonaro tem 59% das intenções de votos válidos e Haddad aparece com 41%.

Ibope levantou o potencial de voto de cada um dos dois candidatos que disputam o segundo turno da eleição. Somando a quantidade de pessoas que votariam “com certeza” e as que “poderiam votar” em Bolsonaro, o potencial do candidato chega a 52%. Já o do petista é de 39%.

Entre os entrevistados, 41% declaram que “com certeza” votariam em Bolsonaro para presidente, enquanto que 35% dizem que não votariam nele “de jeito nenhum”. O porcentual respondendo que poderia votar no candidato do PSL é de 11%. No levantamento, 11% dos eleitores não o conhecem o suficiente para opinar e 2% responderam não saber se votariam em Bolsonaro.

Com Haddad, acontece o inverso: há mais eleitores afirmando que não votariam nele de jeito nenhum do que pessoas declarando voto fiel no petista. Na pesquisa, 47% das pessoas afastam a hipótese de votar em Haddad no segundo turno, enquanto que 28% dizem que votaria nele “com certeza”. O porcentual de entrevistados que “poderiam votar” no presidenciável do PT é de 11%. Entre os entrevistados, 12% das pessoas afirmam que não o conhecem o suficiente para opinar e 2% dos eleitores se dizem indecisos sobre um voto no petista.

Política

Bolsonaro tem 59% das intenções de voto; Haddad, 41%, diz BTG/FSB

Pesquisa BTG/FSB de intenção de votos para o segundo turno das eleições presidenciais de 2018 mostra o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, na liderança, com 59%. Fernando Haddad, do PT, tem 41%. Os números correspondem ao cenário estimulado, no qual o nome dos candidatos é citado na hora do questionário.

Os votos válidos são calculados com base na soma de intenção de votos recebidas por todos os candidatos juntos, descontando-se os percentuais de “Branco”, “Nulo”, “Ninguém/Nenhum”, “Não Sabe” e “Não Respondeu”

As entrevistas feitas pelo Instituto FSB Pesquisa foram feitas por telefone, nos dias 13 e 14 de outubro de 2018, com 2.000 eleitores a partir de 16 anos, nas 27 Unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%.

Política

Reeleita com o dobro da votação obtida em 2014, Geovania agradece os catarinenses

A deputada federal de Criciúma que ficou na quinta colocação entre os representantes catarinenses na Câmara Federal, saindo de 52.757 para 101.937 votos, reeleita sem prejudicar-se com a queda do seu partido PSDB no estado, graças ao fato do eleitor observar seu trabalho no primeiro mandato junto com seu claro posicionamento no mesmo período, agradeceu a confiança e se comprometeu com a continuidade das ações.

Política

Datafolha para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 58%; Haddad, 42%

O Datafolha divulgou nesta quarta-feira (10) o resultado da primeira pesquisa de intenção de voto do instituto sobre o segundo turno da eleição presidencial. A pesquisa foi realizada nesta quarta, dia 10, e tem margem de erro de 2 pontos, para mais ou para menos.

Nos votos válidos, os resultados foram os seguintes:

Economia / Política

“Regime de Urgência” para a tramitação do projeto referente ao empréstimo de R$ 14 milhões é obstruído na Câmara

Na casa legislativa de Urussanga onde já a algum tempo vem ocorrendo mau entendidos no que refere as votações de “Regime de Urgência”, ou seja, a forma que irá tramitar, e dos próprios projetos, esses dois expedientes totalmente distintos, nesta terça-feira houve a obstrução quando da votação do “regime”, solicitado para o projeto de autoria do executivo, que busca autorização para a contratação de um empréstimo de aproximadamente R$ 14 milhões.

Os membros das bancadas do PP e PDT, insistiram para que os edis votassem a favor do “regime”, justificando que o prefeito municipal não havia procurado os vereadores para detalhar a destinação do montante, porque não tinha até então recebido a confirmação da Caixa Econômica Federal, e reiteraram a questão do prazo.

Mas não adiantou, dois vereadores do MBD, Elson Roberto Ramos e Vanir Zuleima Mazzucco Cacciatori além dos eleitos pelo PSD, Jair Nandi e PT, Marcos Silveira, ausentaram no plenário, gerando assim a obstrução.

Os citados, em suas argumentações para posicionamento, solicitaram todas as informações a respeito do referido empréstimo, o qual já se sabe terá carência de dois anos e começará ser pago pelo próximo prefeito.

Alguns dos vereadores também questionaram o fato do chefe do executivo principalmente em entrevistas afirmar que tem consideráveis valores em caixa.

Segundo o presidente da mesa, Odivaldo Bonetti, o prefeito nesta quarta-feira (10), viajaria para Brasília, mas ainda está semana deve reunir-se com os legisladores para explanar sobre o pretendido financiamento.

Vanderlei Marcirio “Deco”, não acompanhou os demais do MDB na obstrução.

Política

Em pesquisa, Bolsonaro tem 54% dos votos válidos e Haddad 46%

Na primeira pesquisa eleitoral do segundo turno, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) lidera a corrida pelo Palácio do Planalto com 54% das intenções de votos válidos. O petista Fernando Haddad tem 46%. O levantamento foi feito pelo instituto Ideia Big Data em parceria com VEJA.

A pesquisa ouviu 2.036 eleitores das cinco regiões do país entre a última segunda e esta quarta-feira. A margem de erro é de 2,67% pontos percentuais para mais ou para menos. O número de registro no TSE é BR-09687/2018.

Bolsonaro chegou ao segundo turno com a preferência de 46,03% do eleitorado (ou 49,2 milhões de votos). Haddad teve 29,28% dos votos válidos (31,3 milhões de votos).

Ao considerar o universo de todos os entrevistados, Bolsonaro tem 48% das intenções dos eleitores, enquanto Haddad, 41%.

Política

Ulisses Gabriel bem votado em Urussanga que ficou com a terceira suplência, se reapresenta no cargo de delgado

Voltando a agradecer seus eleitores pelos 28.183 votos obtidos na sua primeira experiencia na política catarinense, o candidato a deputado estadual pelo PSD, Ulisses Gabriel, que ficou com a terceira suplência do partido, anunciou já segunda-feira pós eleição, que retornou a sua função de delegado, reapresentando-se no município de Orleans.

Considerado como um dos que conseguiu uma ótima votação sem estar inserido no movimento 17, que tomou conta do país, por apresentar propostas concretas do trabalho que pretendia desenvolver na assembleia legislativa do estado, além de ser visto como um verdadeiro exemplo de renovação, Ulisses afirmou, “já me apresentei na delegacia de Orleans, aonde voltei para minha profissão de delegado de polícia civil para combater o crime com todas as minhas forças. Eu continuo acreditando e lutando pelos nossos propósitos”.

Em Urussanga, Ulisses obteve 896 votos.

Política

Ouça: Casagrande, líder do governo faz duras críticas ao trabalho do secretário de obras

O vereador Gilson Casagrande, líder do governo na Câmara Municipal de Urussanga, que até então usava a tribuna para apresentar as ações da secretaria de obras e elogia-las, surpreendeu nesta noite de terça-feira, e demostrando verdadeira indignação por não ser atendido em seus pleitos, os quais segundo o mesmo lhe chegam por munícipes, principalmente no recente período em que visitou urussanguenses em campanha para um deputado, e pediu urgente mudança na atuação da citada pasta.

Política / Vídeo

Bolsonaro antecipa que não vai declarar a apoio na corrida ao governo de Santa Catarina

A primeira atitude do candidato à presidência da república pelo PSL, Jair Bolsonaro, voltada para Santa Catarina, seguiu a linha de raciocínio apresentada pelo mesmo até aqui, a que prioriza sua eleição.

Depois de obter em Santa Catarina mais expressiva votação (65,82%) entre as unidades da federação (65,82%), Bolsonaro afirmou em entrevista na Rádio Jovem Pam nesta manhã que embora tenha o candidato do seu partido na disputa de segundo turno, não vai declarar apoio a ninguém, porque poderia assim prejudicar sua candidatura.

No próximo dia 28, Gelson Merisio do PSD e Comandante Moises do PSL disputarão o cargo de governador.

Merisio por sua vez, anunciou antes da eleição de primeiro turno que seu voto seria de Bolsonaro, na época o presidente o partido em Santa Catarina, Lucas Esmeraldino, chegou a divulgar um vídeo com o filho de Bolsonaro fazendo críticas a manifestação do candidato da coligação “Aqui é Trabalho”.

Com a declaração de hoje o candidato a presidência reconhece o cálculo obvio que mostra como sua votação foi constituída. Com os eleitores de Merisio (31,12%), somados aos do Comandante Moisés (29,72%) e mais aproximadamente (6%), de outros, o que justifica sua decisão mais sinaliza que qualquer um dos dois que chegaram ao segundo turno no estado Barriga Verde será bem visto caso vença a eleição, na hipótese de Bolsonaro se tornar presidente.