Blog do Paulo Matias

Cultura / Destaque / Economia / Turismo

Apresentação da Epagri de vinhos resistentes a doenças foi muito elogiada

Passada a correria das eleições, mas ainda tempo, é hora de destacarmos o importe evento realizado na última quinta-feira (25), quando a Epagri de Urussanga apresentou vinhos resistentes a doenças.

A demonstração técnica foi feita na Estação Experimental e conduzida pelos técnicos da Epagri de Videira.

Com a introdução de 11 variedades de uvas viníferas resistentes a doenças (PIWI), oriundas da Alemanha e Itália cultivadas em Santa Catarina o trabalho vem sendo desenvolvido desde 2015.

Os aspectos produtivos e enológicos foram expostos durante o encontro e de acordo com os técnicos, apesar do clima úmido e quente as variedades apresentaram alta produtividade e resistência, quando cultivadas com uma redução no uso agrotóxicos de até 80%.

As classificadas com bom potencial passaram pelo processo de vinificação na Estação Experimental de Videira. Sendo elas, as uvas brancas Calardis Blanc e Felicia e a tinta Regent, bem como a Aromera, similar a Moscato, se destacaram pela produtividade e potencialidade para vinhos.

“A Calardis Blanc e a Aromera provavelmente serão usadas para a produção de espumantes. Enquanto a Felicia produz um vinho tranquilo, sendo bem cultivada na Alemanha e Áustria, explicou o coordenador da pesquisa em Urussanga, engenheiro agrônomo, Emilio Della Bruna.

Após a explanação técnica, os vinhos elaborados foram servidos para a degustação dos presentes que avaliaram os mesmos.

A possibilidade de através desse trabalho em regiões como a de Urussanga produzirem uvas viníferas e por consequência vinhos no padrão mais consumido pelo mercado, ainda com o diferencial da utilização de bem menos agrotóxicos, abre um novo capitulo na história da “nobre bebida”, que tem hoje como seu carro chefe o Goethe, o qual inegavelmente deu impulso na atividade.